Os mortos vão caminhar pela Terra…

Lembro-me de quando era mais novo, talvez com 16 anos ou assim, ter-me armado em herói e visto um daqueles filmes pouco recomendados para qualquer mente inteligente. Era um filme com zombies e eram aos magotes deles.

 O que acabei por reter do filme, além dos sustos que apanhei, foi uma frase que uma das personagens dizia: “O meu avô costumava dizer, um dia quando o Inferno estiver cheio, os mortos vão caminhar pela Terra…”.



Bem, provavelmente estás a pensar onde é que isto vai dar. Certo? Eu explico (ou pelo menos tento)… O Inferno é um lugar de sofrimento, de tormento e de uma solidão imensa. É um lugar onde estamos acompanhados por mais gente que sofre, mas onde estamos sozinhos e longe de Deus. Se pensarmos bem nisto, é assim que muitas pessoas vivem. Dependentes e obcecadas com o seu estatuto, viciadas nas coisas que querem ter, sofrem sozinhas apesar de estarem rodeadas de falsos amigos e amigas que se esfumam mal o dinheiro e a fama acabam. Sentem-se numa solidão imensa, vivem atormentadas a pensar no que podiam ter, ser, viver, na próxima maneira de dar a volta à situação e voltar ao topo. Tornam-se zombies, não comem o cérebro às outras pessoas, mas são sugadas emocionalmente por quem se aproveita delas.

Espiritualmente estão mortas. Não há ligação com Jesus. Não vivem com Ele. Não desfrutam do que Ele deu a cada um de nós: paz, amor, alegria no Espírito Santo (Romanos 14:17). Um amigo mais próximo que um irmão (Provérbios 18:24b). Uma família em cada canto do mundo, a Igreja, onde não somos sugados, mas onde somos tratados, alimentados e animados. Onde a nossa fama não diz quem somos, mas é Jesus quem define a nossa identidade: a de filhos e filhas (1ª João 3:1), amados de tal maneira, que Deus deu o melhor que pode existir para que não caminhemos mortos no presente e na eternidade (João 3:16), mas possamos caminhar com a certeza de que somos amados (Jeremias 31:3).

A minha, tua, nossa missão é esta: ir até aos confins do mundo e pra lá deles, para que todos aqueles e aquelas que caminham mortos pela Terra, possam passar a viver porque Jesus já nasceu, morreu e ressuscitou para lhes dar vida (João 20:31).


Ricardo Rosa

in revista BSteen, fevereiro 2017. Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda